segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Cuidado de "niños"

Depois das minhas frustradas tentativas de arranjar emprego como camarera e repartidora de publicidade, resolví buscar alguma coisa em um trabalho que é bom comum por aqui: cuidar de crianças. As meninas ou mulheres que fazem isso, são chamadas de "canguros".

Cheguei a fazer pequenos cartõezinhos, com nome, telefone e a foto acima(do google imagens). A idéia era entregar aos pais dos "niños" na porta de uma escola particular aqui perto de casa. Cheguei até a fazê-los no computador e imprimi-los mas ficou só na idéia mesmo. Logo fui buscar outra coisa e desisití de cuidar de crianças.

sábado, 15 de setembro de 2007

Pagando vale na primeira entrevista

Bem, chegou a hora ir atrás de um trabalho por aqui. Mas por onde começar? Largando currículos, indo a agencias de emprego, seguindo as indicações dos amigos? Sim, tudo isso e mais um pouco.
O primeiro passo, como em qualquer lugar do mundo, é fazer um bom currículo em castellano. Colocar atividades "extras" é uma boa, em alguns casos. Eu, por exemplo, coloquei a minha longa experiência como garçonete em um bar na Cidade Baixa, pra ver se colava. Mentirinhas à parte, isso sempre pode contar pontos e chamar atençáo de um empregador em uma seleçáo, mas é só na prática que ele vai saber realmente você sabe equilibrar uma bandeja com seis copos cheios de cerveja.
Bom, a minha "suposta" experiência não colou muito e eu logo fui dando jeito de desistir da idéia de trabalhar em um bar como camarera.

Então fui procurar em um site de anuncios de emprego, chamado Loquo. O site anuncia de tudo, mas acredito que a parte de empregos é a mais visitada. Ali se vê os mais absurdos trabalhos, alguns muito falcatruas, como os que buscam modelos fotográficas que tenham "peitos grandes e mamilos pequenos" ou entáo meninos com pênis grande para filmes pornôs. Há de tudo e tem que se fazer uma verdadeira garimpada nos anúncios.

Mas foi ali que encontrei uma vaga para minha primeira entrevista de emprego. Passei uma tarde enviando curriculo para diversas áreas: administrativo, distribuição de panfletos, recepção, cuidado de crianças e tudo mais...
Até que no final do dia me ligaram para uma entrevista em uma imobiliária. A cena mais engraçada impossivel: eu ali arranhando meu castellano, mandando ver no "pero que si, pero que no" e a mulher do outro lado da linha se retorcendo pra entender o que eu dizia. No final das contas, consegui, com muito custo, anotar o nome da rua e decifrá-la no guia. Como tinha enviado curriculo para milhares de lugares e um deles era uma imobiliária com uma proposta de trabalho só para organizar arquivos e por 1300 Euros, logo imaginei que era esse.
Bah..fiquei bem feliz, vai ver gostaram do meu currículo, mesmo sem bulhufas de experiência administrativa.

No outro dia pela manhã me preparei para a entrevista. Coloquei terninho, maquiagem, cabelo arrumado, tudo para uma vaga de auxiliar administrativo.
A surpresa foi quando cheguei no lugar, com umas cinco meninas esperando e todas no mesmo perfil: tênis, mochila, cabelo preso e piercings no rosto.
Na hora da entrevista, o homem, que devia ser o dono da imobiliária e me olhava dos pés à cabeça, perguntou se eu sabia qua a vaga era pra entregar flyers das promoções do lugar...
Ahh simmm, claro que sei...uhum, balançando afirmamente a cabeça..

Eu queria abrir um buraco no chão e me meter, junto com a idéia de pôr terninho, bolsa, maquiagem e todo o resto da produçáo....
Era a legitima situaçáo de estar no lugar errado, com a vaga errada e, pior, com a roupa errada! Nunca uma roupa me fez sentir tão mal. Eu estava muito bem vestida, mas completamente exagerada para uma simples vaga de repartidora de publicidade.

Claro que não me chamaram, talvez pq meu castellano não estivesse lá essas coisas, talvez pq tivesse alguma menina com mais experiencia em publicidad, mas ninguém me tira da cabeça que eu perdi a vaga quando inventei de colocar o bendito terninho social.

Mas tudo bem, vi tudo como uma experiência, semi-traumática eu diria, e que também sempre devo perguntar antes do que realmente se trata a oferta.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Um encanto: as bibliotecas!

Desde que saí do Brasil já estava com expectativas de conhecer e me cadastrar em alguma biblioteca aqui. O Beto vivia dizendo que elas sáo todas públicas e tem muitas coisas legais para retirar.

Depois de ter a folinha do empadronamento, fui à busca de uma biblioteca mais perto de casa para me inscrever. Pronto! Já tinha o nome e o endereço e là fui eu, em direçáo à Sofia Barat.


Fachada da Biblioteca

Com documentos em máos, eu tinha uma frase pornta na minha cabeça "quiero hacer un cadastro", a bibliotecária com cara de poucos amigos, foi passando meus dados todos pro computador. Foi aí que me pediu um telefone de contato....putz....eu tinha me esquecido de anotar o telefone do Beto e náo tinha ele ainda guardado na cabeça. A única coisa que me vinha era o início com 65..... Náo à toa que eu só consegui gravar isso, de tanto ouvir usar o 65 na campanha da Manu, náo tinha como esquecer.

Bom, náo teve arrego, no outro dia tive que voltar com o telefone anotado. Aí sim, depois de tudo cadastrado, já pude retirar alguns livros.

Sendo cadastrado em uma biblioteca, você tem acesso, através de um cartáo magnético, a todas outras, sáo muitas e uma mais interessante que a outra.

A bilbioteca Sofia Barat é muito fofa, toda novinha, com um espaço só para as crianças se divertiram e lerem tambèm, parece até uma livraria, mas.....como já é de costume sentir por aqui, ali dentro tem um sutil - pra náo dizer terrível - cheiro de asa, mesmo estando no pico do inverno!!

Olores nauseantes à parte, por ali se pode encontrar muita coisa legal, alguns livros também em catalão, dvds, cds (muita música brasileira, tipo Milton Nascimento, Bebel Gilberto, Caetano Veloso, Vinicius e por ai vai...) filmes e revistas do mundo todo.

No final do expediente diário, lá pelas 20h30, uma música começa a tocar. No dia que fui, tocava um jazz bem animadinho. É a maneira que eles encontraram pra dizer: vão embora de uma vez!!

Burocracias nem tão burocráticas assim..

Depois de jantinhas, festinhas e passeios pela cidade, estava na hora de legalizar minha situação por aqui. O primeiro passo: o empadronamento. Palavrinha um pouco complicada, mas muito necessária para quem pretende passar uns tempos na cidade.

O empadronamento é um documento que registra a permanência de uma pessoa no território espanhol, uma espécie de controle que o governo de um município tem sobre seus cidadãos e extrangeiros. Para registrar-se, basta ir a uma "oficina del Ayuntamiento", como um posto de atendimento em cada bairro. Alí deve-se levar um comprovante de alguma conta do lugar onde vai morar, o passaporte e, principalmente, ir com uma pessoa que já esteja empadronada, ela será responsável por você, durante sua permanência. No meu caso, o Beto, claro...

Com o documento em mãos, pode-se solicitar a regularização de permisos de residência, trabalho, condução e estudos.
O mais importante para nós aqui é o direito de solicitar o cartão para assistência de saúde, abrir conta em banco, fazer algumas compras e poder utilizar plenamente as atividades culturais da cidade, como as bibliotecas.



Da "Caixa Federal" para "La Caixa"

Com a folinha do empadronamento, era vez de ir abrir uma conta em um banco. O escolhido foi a "La Caixa", muito popular por aqui, com uma agência em cada esquina. Sáo muitas mesmo!! Na porta de cada agência, vem indicado os endereços de duas ou três agências mais perto.


Agência da La Caixa

Com passaporte, empadromanento e uns dinheiro, fomos à agencia, e claro, não fugindo à regra, na esquina da nossa casa.
Alí, uma atendente muito simpática: uma grávida com uma barriga enorme e bem bonita! A única coisa que precisei - e consegui - falar foi "quiero abrir una cuenta", depois disso a moça atendeu uma ligaçáo e, como se estivesse na sala da sua casa, começou a conversar e a rir que náo parava mais...Ela apenas me pedia os documentos por gestos e mostrava onde tinha que assinar.


Frente da llibreta


Tudo fica registrado. Abaixo, alguns (poucos) €uricos!!



Quando já estava nos trâmites finais, ela desligou o telefone, pediu desculpas com um grande sorriso e me entregou a caderneta ou "llibreta" do banco, junto com minha senha. A caderneta é um controle da sua conta, sem precisar se encher de papéis cada vez que for tirar um extrato ou fazer um depósito. Basta inseri-la libreta na máquina, seguir as instruçóes e fica tudo ali registrado: o que entra e sai de dinheiro, data, horário... tudinho!! É o fim dos papeizinhos dentro da carteira...

Ahhh que fácil abrir conta no banco!! Adorei!!

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Ahh comida boa...

Quem me conhece mesmo sabe da minha compulsão por comida, sabe que a baixinha aqui é capaz de devorar um xis do speed com naturalidade e fazer do prato do almoço um verdadeiro "Morro Santana" hehe...


Lu, Lê, Fê e Paty

Pois entáo, quando se está longe de casa assim, a saudade do arroz soltinho da mamáe, o churrasco de domingo do paizáo, o feijáo com muito caldo e o páo macio feito em casa pela minhas avós era o que eu sentia mais falta...
Ter que comer massa com atum cinco vezes na semana e achar uma delícia é nossa obrigaçáo por aquí. Ai do Beto se fizer cara feia pro meu arroz “uniáo”...


foi pouco...

Tá certo que eu até me viro na cozinha, mas nada substitui a comida boa de casa.
Bem, eu disse que nada substitui, mas algumas chegam bem perto. Como foi o caso da nossa mega janta que fizemos no apê, em uma terça-feira de inverno. O prato, mais familiar impossível: galinhada com arroz!!! Ebaaaa


O vinho...

Para quem náo aguentava mais comer queijo, massa, páo, massa, páo e queijo a pedida da galinhada foi ótima. O vinho era baratinho, do Dia% para variar, mas foi a combinaçáo perfeita: frio, comida boa, companhia agradável e vinho tinto!! ¡Buen Provecho!!

Depois da janta, momentos para tirar fotos toscas. Divirtam-se!!



Chulimpos!


Beto em momento "telo xxxuro, negra"


Narciso...


Esmagando o nariz inexistente...


foto sem legenda


Cansou dos flashes


Lê, Paty e Dé


Lu com cara "quadro da dor"


E a soneira...


Bateu...zzzzz


Praia no inverno sempre vem bem...

Caminhar durante a noite em Barcelona é fantástico, mas durante um dia de sol é mais lindo ainda. Mesmo no inverno, ver a praia é agradável. Claro, convém estar muito bem agasalhado.

Nosso passeio continua, depois de passar pelas obras de Gaudí na Passeig de Gràcia, dar pipoca pras pombas na Plaça Catalunya e percorrer a Rambla, fomos pra estátua do Mirador de Colón, porto e, por fim, a praia!

"Mirador de Colón"

O Monumento em homenagem a Cristóvão Colombo está localizado no final das Ramblas, junto ao mar. Na estátua, o dedo de Colón indica o ponto onde o genovês desembarcou quando regressou das Américas.

Chegando ali você pode subir até o topo da estátua e admirar a linda vista da cidade. Eu e o Beto acabamos náo entrando na estátua, mas nos divertimos tirando fotos com os leóes de guarda do Seu Cristóváo.


Lu e uma foto sem noção. Quando se está encantada com a cidade,
até tirar fotos assim é divertido.


Aí o porto. Ao fundo, o Colón


Depois do Colón e dos leões, fomos sentar pra curtir um solzinho no antigo porto da cidade. Lugarzinho legal, com peixes enormes, quase obesos, nadando por alí. Um pouco assustadores, eu diria. Se você toca uma pipoca, eles mostram uma boca horrorosa, faminta...


Parecem tranquilos, toca uma pipoca pra ver como ficam.


Barquinhos


Por final, a Barceloneta!!

No final do dia, compramos um litro de Xibeca, umas bolachinas e nos tocamos pra praia. Diversão de pobre no primeiro mundo é cômica.
Alí, um friozinho com sol pra esquentar. Ficamos lagarteando (só faltava "umas bergamota" hehe) curtindo os surfistas disputando as raras ondas que aparecem no Mediterrâneo.
A praia em questão, era a Barcelonta, a mais popular por aqui.


Bicotinhas


surfistinhas calhordas

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Durante o dia quando o sol aparece...

Esses dias já tinha colocado foto da Plaça Catalunya aqui. Hoje coloco algumas mais, juntamente com "Las Ramblas", a rua mais famosa da cidade.


Plaça Catalunya

Sério, se alguém acha nojento aquele monte de pombas que se aglomeram em frente à Prefeitura de Porto Alegre, juntando todo tipo de porcaria que vêm pela frente e voando táo baixo que parecem que váo levar nossa cabeça junto, náo queira ver a quantidade de pombas existentes na Plaça Catalunya.

Pior é que por aqui há um costume de atirar comida para os bichinhos nojentos, é só parar e ver a quantidade de criança que se diverte com isso. Mesmo assim, vale a pena passar por alí, curtir um solzinho e se atrever a tocar "unas palomitas para las palomas", ou seja, uma pipoquinhas para as pombas.


Lú, as pombas e o casaco do brechó


Las Ramblas

Em Barcelona existem muitas "Ramblas": Rambla Catalunya, Rambla de Poblenou, Rambla del Raval, Rambla de Prim e por aí vai...Claro que nenhuma delas se compara com "La Rambla", a mais bonita, mais charmosa e mais atrativa.


Lulu na Rambla. Reparem nas árvores:
nadinha de folhas no invernão...

La Rambla tem seu inicio na fonte Canaletes que, segundo um dito popular, quem bebe de sua água, volta sempre a Barcelona. Para a tal da fonte eu não usaria o dito "desta água nunca beberei" e táo pouco precisei beber um golinho alí, minha vontade de voltar muitas vezes na cidade já está garantida!!!

Caminhando pela Rambla vemos muitos restaurante, cafeterias, lojas de souvenir, bancas de jornais e de flores. Mas o que mais encanta é a variedade de artistas de rua, tem de tudo: imitaçáo de Ronaldinho, Elvis, Che Guevara, palhaços, gueixas, o homem do gato e, claro os mais criativos, como este da foto.

No meio do caminho, passamos pelo mercado "La Boqueria" ou boqueteria para alguns. Aquí, frutas, alimentos conservados, carnes e pescado, muito pescado. O cheiro do ambiente: qualquer semelhança com o Mercado Público é pura e simples coincidência.

Momento: pagando pau pro Gaudí

Antes de qualer coisa: Aconselho clicarem nas fotos para ver as obras mais de perto. São lindas de verdade!!

No dia lindo de sol, momentos para apreciar as maravilhas arquitetônicas de Antônio Gaudí. Gaudí, arquiteto nascido em Barcelona, grande artista conhecido por suas obras com formas peculiares. Entre elas, o templo expiatório da Sagrada Família, o Parc Guell e essas que vou falar agora: La Pedrera e Casa Batló.
Nosso passeio iniciou em Passeig de Gracia, que já comentei aqui no blog que é a rua mais charmosa da cidade, cheia de lojas chiquérrimas.


Casa Milà ou La Pedrera: Fantástica obra de Gaudí.
O edifício náo possui qualquer linha reta, parece uma grande duna de areia.

Mas o que seria da Passeig de Grácia, se náo fosse a Casa Battló ou a Casa Mila (La Pedrera)?Luis Vitton e Tommy Hilfiger venderiam suas roupas, é claro, mas o encanto dos riquinhos em fazer suas comprinhas básicas náo seria o mesmo.

Bom, já que eu náo estava ali para comprar bolsas Luis Vitton e táo pouco o Beto queria um terno Armani, fomos ao que interessava, a nós e a massa de turistas com seus flashes e mais flashes..


Casa Battló



Na Casa Battló (fotos), mais surpresas! Outro edifício de Gaudí com suas formas distintas. A Casa também é conhecida como "Casa dos Ossos", devido ao formato das molduras nas janelas. A obra foi encomendada ao artista por uma família da classe média em 1904, mas seu patrimônio agora é considerado "herança mundial" pela UNESCO, assim como muitas outras obras de Gaudí.





Fantástica!!

Passeio pelas ruas da cidade bela!

Caminhar pelas ruas de Barcelona é mais do que um encanto: é uma sensação de felicidade incomparável; é sentir-se a protagonista de um filme romântico; é admirar as calçadas incrivelmente limpas; é surpreender-se com a educação dos motoristas, respeitando a faixa de pedestres; é sentir o maior frio do mundo e – incrivelmente – gostar; é sentir-se segura às 3 horas da madrugada, é encantar-se a cada quadra com a arquitetura de um prédio, é ficar escutando uma conversa em castellano e tentar entendê-la; é ver arte, sentir arte e respirar arte em cada cantinho da cidade...

Viver em Barcelona é tudo isso e mais um muito, um muito mais...Duvida? Vem morar aqui para sentir isso também.

Aqui, algumas das primeiras fotos da cidade, tiradas em um passeio curtinho à noite.


Passeig de San Joan. O Beto ficou nervoso
com a modelo da foto e desfocou tudo. Mas tá valendo hehe



Aqui ele, todo elegante com o casaco do brechó.
Ahh o meu também é...



Volta pelo Arc de Triomf

Não é o nosso Arco do Triunfo da Redenção, muito menos o da Champs-Élysées de Paris. Mas é o de Barcelona. Lindíssimo e muito iluminado. Impossível não admirá-lo.
Historicamente, a construçáo de um Arco representava uma vitória em uma batalha. Estando aqui, já me sinto triunfante também.





Ainda mais bonito durante a noite



Plaça Catalunya

O centro da cidade. Onde todo mundo que está em Barcelona passou, passa ou ainda passará para conhecer. Muita gente caminhando e ponto de concentraçáo para algumas festas. Aí sou estou eu, morrendo de frio. Ao fundo, náo é a polícia, mas um dos muitos táxis que existem por aqui.



Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrr.......


Metro Catalunya


Passeio pelo Gótico

Náo é todo dia que a gente encontra um museu do Salvador Dalí pelas ruas. Bom, se tratando da Catalunya as chances sáo bem maiores. Dalí nasceu em Figueres, uma cidadezinha aqui perto. O museu aí fica localizado no bairro gótico, um dos bairros mais antigos da cidade. Náo entrei nesse dia, mas tirei uma foto com o anfitriáo. Dei uma bicotinha surreal nele!!! E ainda me abracei em um dos seu ovos. Divertidissímo!



Eu e o ovo do Dalí



Surrealistas se entendem apenas com uma bicota

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Brazucas e brasucas em Barcelona

Na mesma noite em que fomos no Michael Collins, passamos antes em um encontro de brasileiros que vivem aqui em Barcelona. O encontro foi organizado pela comunidade no orkut que leva o mesmo nome: "Brazucas em Barcelona". A organização prometia que o bar ia vender caipirinhas e no som ia rolar muita música brasileira. Faiou.....Tivemos que nos contentarmos com o "mojito", um coquetel cubano à base de rum branco e hortelã. A bebida uma delícia, não fosse pelas mais de 8273684048360173 pedras de gelo que continham no copo e o preço: 5 € !!!


Gauchada no encontro dos brazucas: Lê, Fê, Paty, Beto e Lú

No som, entre hip hop americano e latinos em geral, a única música brasileira que ouvi e dancei foi Maracatu atômico, da Nação Zumbi. Fora isso, no encontro, muitos brasucas se divertindo, conversando, rindo, tentando e conseguindo aparecer (uns mais que os outros). Como a gauchada aqui náo se entrosou muito com a brasucada, resolvemos ir pro pub e beber a cerveja de meio litro!!

Michael Collings: el revolucionario borracho

Freqüentamos muitas vezes um bar muito perto de casa, chamado Michael Collins. É estilo pub irlandês. Consequentemente, frequentado por muitos irlandeses, ingleses e escoceses. Todos bebaços e loucos por futebol e rugby!!!



Lê e Beto junto ao bebum do Sr. Collins.
Ahh, o copo da cerveja tem 500 ml!!

No bar, um clima meio antigo, com pratos de metal enferrujados, garrafas e lampiões velhos. Em um quadro de um militar, a explicaçáo: Michael Collings, que dá nome ao bar, um líder revolucionário irlândes que curtia muito uma bebidinha durante os combates.

No entanto, não espere um bom atendimento no final do expediente. Os camareros (garçons) fazem questão de que você perceba que o bar está fechando, que eles estão de saco cheio e querem ir embora de uma vez. Fui no banheiro em um momento, quando voltei o cara já tinha tirado a minha cadeira que estava junto na mesa com o resto do pessoal. A única coisa que me disse foi: "Estamos fechando já!". Náo tem problema, sentei num cantinho da mesa e acabei a cerveja.



Eu e o Beto...



em momento...


amorzinho no bar!

terça-feira, 4 de setembro de 2007

“Mudar é amar a alma de casa”

Mario Quintana escreveu uma frase muito linda que é a seguinte: "Amar é mudar a alma de casa". A frase em si só faz todo o sentido, mas resolví modificá-la um pouco(está no título do post)e adaptá-la ao momento que vivo agora. Acho que se encaixa perfeitamente também.
Mudar de casa para mim sempre foi um sinônimo de “vida nova”. Arrumar cds, roupas, sapatos, livros em caixas, colocar fora o que não se usa mais e depois cuidadosamente colocar tudo em um novo lugar. Toda a função, mesmo que cansativa, me fascina.

Mudei de casa três vezes. A primeira, tinha dez anos e mudei de um apartamento pequeno para uma casa em um terreno com grama, árvores, cachorros, passarinhos, churrasqueira... Na segunda vez - ano passado com 22 anos - fui pegando, de pouquinho a pouquinho, minhas mudas de roupas e quando ví, eu e o Beto estávamos dividindo um apartamento sozinhos. Passamos por uma boa experiência de nove meses.


Salinha do piso


E agora desta vez, a terceira, não só mudei de casa, como também mudei de bairro, cidade e país. A expectativa em relaçáo ao desconhecido me encantava, mas também me deixava muito ansiosa.
Nosso prédio, chamado de “finca” por aquí, fica localizado na Rua Mallorca, no Bairro Eixample e a uma quadra da Sagrada Família. No apartamento novo, que chamam “piso”, mais amigos novos: conhecí a Paty, casada com o Dé, uma menina de um metro e todos e cara de boneca; a Fê, que eu já conhecia, ex-colega do Beto da faculdade e o Lê, seu namorado, o único gremista, além de mim e do Beto.


Nossa cozinha!

Com três “habitaçóes” - que são os quartos - sala, cozinha, banheiro e uma terracinha ele é uma graça. Mesmo sem nada de estravagâncias, ele é muito aconchegante e silencioso. Nosso quarto é o mais pequeno, talvez proporcional ao nosso tamanho, e tambèm com janela interna, o que náo nos permite uma visáo para a rua, e sim, para as demais janelas do pròprio prédio. Mas tudo bem, está ótimo! Eu quero mesmo é aproveitar a cidade e os seus encantos.


Entrada da nossa habitación!! hehe


Banheiro pequeno é apelido!!!

Temos tudo bem próximo: mercadinhos, mercadões, locutórios (os cyber-cafés), linhas de metro e ônibus, bares, lojas, praças, etc etc etc....Claro que tudo isso é nada comparado à companhia da Sagrada Família todos os dias.


Ta aí, o Beto e o Dé em casa

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails