domingo, 31 de maio de 2009

piaf

tudo o que ela queria neste momento era saber falar, 
ouvir,
pensar,
escrever..ou qualquer coisa que valha....

em francês!

queria compreender o que Piaf cantava com tanta vontade em Padam Padam...
sabia que vie, era vida
que rien era nada
e que amour, era amor.

mas queria mais. não queria simples traduções.
queria conseguir acompanhar edit na canção e fazer biquinho cantando.

mas por agora, ela limita-se apenas a escutar
e encher outro copo do vinho barato.

fora do aquário

então ele disse que pensou em ligar pedindo ela em namoro.
fazia meses e meses que sequer um abraço trocavam
mas ele ia ligar, na tentativa de um namoro.
não tinha certeza da reação. e não ligou
ficou com medo

ela disse que não existia paixão
o amor também passava longe dali.
mas pra ele, isso era supervalorizado 
hoje em dia.

então ele mudou de ideia e ela mudou de assunto.
só esqueceu de dizer que resolveu quebrar aquários por aí pra não correr mais o risco de acomodar todos os peixes que - sempre - insistem em se aproximar dela...

sábado, 30 de maio de 2009

deixa

só me deixa pintar as unhas de vermelho, escrever coisas sem sentido, acender um cigarro após o outro e acabar com aquele vinho da estante que não é meu.
me deixa ler o blog do almodovar e entrevistar pessoas que falem sobre quintana. me deixa escutar música bem alto e mudar de canal quando não gostar da propaganda.
deixa meus ouvidos livres dos novos acordes da guitarra e do barulho da bola de futebol, que insistem em chutar na parede.
me deixa dormir sem me preocupar com a gripe e com as contas do final do mês, me deixa acabar sem que ele insista pra voltar. me deixa esperar outro pé na bunda
me deixa esperar por ele. por nós. deixa eu acreditar novamente que o grêmio vai ganhar a libertadores e deixa eu confiar em ti e acreditar que não vai fazer nada de errado outra vez. me deixa acreditar que ontem não fez frio e jurar que ele continua o mesmo em outro setor.
me deixa acreditar que ainda consigo aquela promoção pra buenos aires e que a musica deveria estar mais alta do que está, sem prejudicar os ouvidos.
me deixa esquecer aquele porre e o monte de besteira que falei e toda a grana que gastei naqueles restaurantes caros 

só não diz que eu não avisei...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

leva!

a RBS lançou uma campanha hoje de combate ao crack.

até já imaginei o zum zum zum dos contrários.

e lembrei de uma simples frase: 

quem não faz, leva!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

conversa...

na volta do almoço, dois senhores de seus quarenta anos conversam:

- sou colorado, mas não quero que o grêmio se rale.
- humf humf (resmunga o gremista)
- só não quero que o Grêmio ganhe a Libertdores 

o que, neste caso, daria exatamente na mesma coisa.


segunda-feira, 25 de maio de 2009

Eles passarão...

dia dificil. tenso. complicado. m-a-u-h-u-m-o-r-a-d-o.

mas nada como descansar uns 40 minutos no ônibus, em direção à Unisinos e iniciar um projeto de rádio sobre...

Mario Quintana!

A poesia dele salvou o dia.

e a mim também!

Os velhinhos
Como os velhinhos - quando uns bons velhinhos
São belos, apesar de tudo!

Decerto deve vir uma luz de dentro deles...
Que bem nos faz sua presença!
Cada um deles é o próprio avô
Daquele menininho que durante a vida inteira /
Não conseguiu jamais morrer dentro de nós!


Mario Quintana in: Velório sem defunto



sábado, 23 de maio de 2009

Meus melhores beijos serão seus...

barcelona . paris . berlim .

do vídeo para recordar o passado
na letra da música para viver o presente.
e pensar no futuro...

esperando um sim ou nunca mais!


quinta-feira, 21 de maio de 2009

ai ai...

é o que tem pro dia de hoje!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Beirut!

Então ele foi retirando lentamente os dois braços que conseguiu manter agarrados à minha cintura durante toda a noite, enquanto dormíamos...

Calmamente, sem querer que eu acordasse, conseguiu sair aos pouquinhos e eu, não querendo acabar com a ilusão dele em achar que não me acordaria, me limitei a emitir apenas um suspiro. Sentí encostar a barba no meu ombro destapado e dar um beijo de bom dia. Fez até um pouco de cócegas, mas consegui conter o riso.

Com cuidado, ele levantou da cama. Pude escutar seus passos em direção à cozinha e seus calcanhares pesando sobre o piso decorflex.
Busquei o lençol que estava enroscado nos meus pés. Desejava tapar um pouco a camisola amarela que vestia. Ainda nas buscas pela cama, achei um travesseiro e o acomodei por entre as pernas.

Por esses instantes - da cozinha - veio o barulho do jato forte da água que saía pela torneira. Só aí então resolvi abrir os olhos.
Nessas alturas da manhã, os raios de sol daquele domingo de final de verão já entravam pela janela e deixavam feixes de luz espalhados por toda a cama...desde a ponta do pé, pelo lençol e no travesseiro...

Em voz alta, lhe desejei um bom dia. Igualmente ele retribuiu, enquanto colocava a água para esquentar na chaleira.
Novamente senti seus calcanhares no piso decorflex, desta vez em direção ao monitor. E entre centenas de discos e a água prestes a ferver, ele fez a escolha musical.

Antes de voltar à cozinha e preparar o chimarrão, deitou-se outra vez na cama e me abraçou.
Já me sentia incrivelmente feliz em estar no domingo ali, em acordar, ver e sentir o calor dos raios de sol que entravam pela janela. E foi então que nos primeiros segundos da música eu já sabia que queria sentir por muito tempo aquela mesma sensação...


e o dia estava apenas começando!

domingo, 17 de maio de 2009

em dobro...

fui no hospital na tarde de sol deste domingo.
dois motivos me levaram até o nossa senhora das graças, mais conhecido como gracinha, hospital de canoas.

um dos motivos estava completamente de acordo com minha consciência e minha vontade real de me deslocar nesta tarde até o hospital.
Já o outro?
bem...esse era absolutamente inconsciente, curioso, emblemático, instigante...

o primeiro deles era conhecer o Gabriel, filhinho do Daniel, meu primo mais novo que nasceu sábado. É um bebezão mesmo, sem cara de joelho, coradinho e calmo.

o segundo...era o oposto. ver um amigo da família que está em fase terminal no mesmo hospital.

dois motivos tão distantes, mas juntos na mesma situação. vida e morte separadas apenas por um andar de hospital.

não vou me estender muito sobre o caso, até por que a história é tão longa que não teria espaço. Mas algo nesta tarde me mostrou que realmente tudo que se faz por aqui, volta - e em dobro! E cuidado ao pisares nas pessoas durante o caminho, talvez sejam as mesmas que te darão a mão para levantar um dia.

bom, neste caso não há mais o que fazer. o tempo deve ter mostrado que queimar dinheiro, humilhar os filhos, os amigos, maltratar a mulher não trouxe nada mais em troca do que uma cama de hospital público, fedido, com dezenas de outros moribundos definhando ao lado e todos aqueles que um dia sentiram a humilhação olhando com o mesmo olhar e não conseguindo sentir outra coisa, que não seja pena.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

you only live once

Ele nem precisa saber, mas era nele que eu pensava toda vez que ouvia a música tocar naquelas festas do lugar escuro, durante todos aqueles finais de semana...
Era nele que eu pensava quando fechava os olhos e num movimento coordenado levantava e mexia os braços e o pescoço no ritmo da música. Exatamente assim nesta ordem. Ou nem tanto, conforme aumentava o efeito do álcool.
Era nele que eu pensava quando cantava o Ôôôôô
E enquanto tocava e eu bebia o quinquagésimo quarto gole de cerveja da noite, era daquele cabelo bagunçado que eu mais sentia saudade.
O volume do lugar podia estar no mais alto, mas juro que conseguia escutar o tom da voz.
a risada divertida
e os sussuros no ouvido

e lá pelas tantas, de tanto alcool, eu tentava enxergar outros "dele" no lugar escuro.
todos eles com o cabelo bagunçado e camisetas coloridas e calças largas e barba por fazer.
mas nenhum tinha a risada divertida
nem o mesmo tom de voz
e eu não sentia nenhuma vontade que sussurrassem no meu ouvido.

rodeada de gente desconhecida, eu só queria uma única pessoa do meu lado.
eu . ele . a música tocando e o cabelo bagunçado.
mas a musica sempre acabava e ele nunca conseguiu chegar no lugar escuro.
mesmo assim eu continuo cantando...

"Oh don't dont don't
Get out!
I can't see the sunshine
I'll be waiting for you baby
Cause I'm true
Sit me down
Shut me up
I'll calm down
And I'll get along with you
"



quarta-feira, 13 de maio de 2009

bate-bola

Vi no Blog da Cris, que por sua vez viu no blog de um amigo, e resolvi responder aqui também.

coisa até R$ 5,00 que não posso viver sem... 
caneta

filmes favoritos

Amelie, sempre Amelie
nome de bebês que eu amo... 
Pedro
músicas que adoro... 
Drexler, todas
acontecimento importante da minha vida... 
morar no raval, barcelona
mania... 
desconversar
lugar que quero conhecer... 
santorini
utilidade doméstica ou acessório de cozinha que não posso viver sem...

shampoo
uma foto inspiradora... 



Próximas indicadas para responder essa enquete... 

Mara


arrepio...

lembrou daquela tarde fria e de todas as tardes frias e nubladas que sucederam, mas daquela tarde não esquece nenhum detalhe.

depois de tardes de sol e risos, veio a tarde fria e nublada da primavera. Parada, do alto do segundo andar olhava a rua. Tinha o pensamento longe...

sentia uma dor no peito
algo de bom havia começado
e algo fora do controle também
deles, ela não sabia nada.

só sabia que teria que falar
sabia que teria que ouvir 
mas ele não falou
ela? muito menos.

hoje,
sentiu outra vez o arrepio na tarde fria e nublada, 
agora de outono.
continua não sabendo de nada

continuam não falando
continuam não ouvindo

ela sabe apenas que os corações continuam na janela...

esperando, talvez, uma tarde em que resolvam falar e ouvir alguma coisa...




sexta-feira, 8 de maio de 2009

o corpo

se é verdade que o corpo fala, o meu diz neste momento:

pare
olhe
escute

quarta-feira, 6 de maio de 2009

pedra no sapato.

tenho o costume de preservar as pedras no sapato.

geralmente de dois em dois meses elas costumam surgir e eu não faço nenhum esforço para retirá-las. talvez porque goste da sensação de mantê-las muito perto.
talvez porque goste da sensação de sentir que me incomodam . me cutucam. me tomam pedaços do meu dia e me levam a ultrapassar os limites da minha insanidade.

cultivo as pedras . não aquelas que são jogadas. mas aquelas que ficam no pé.
pior é que elas não ficam na ponta do pé . nem tão pouco no calcanhar. faço questão de deixar todas elas concentradas no meio . onde é mais difícil de retirar.

alguns procuram sarna pra se coçar . eu procuro cultivar as pedrinhas.

só verdadeiramente me incomodam quando dizem que me amam.

aí é demais pra suportar.

retiro todas e espero os próximos dois meses.

XY

XY era o que queria dizer.
não importava.
havia de ser XY
homem . macho. hetero.

no fundo deve ser.

homem. macho. hetero.

sem confirmação científica não há comprovação.

sábado, 2 de maio de 2009

em segredo.

se pudesse voltar no tempo, ele guardaria para sempre o segredo que até então só a luz verde do neon brilhante descobriu naquela noite quente de verão...

No sé si es Baires o Madrid

Fito, Sabina y unas hierbitas de Diós!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails